Uma nação

Interrompo a série de comentários a noticias de alguidar e pacotilha, para fazer uma breve menção aos meus fellow citizens de Portugal.

É curiosa esta onda de solidariedade e repercussão nas redes sociais relativa ao caso Ensitel. Não concordo minimamente com a gestão que a empresa fez deste processo, contudo não poderei nunca coadunar com estes fenómenos de turba. Está em jogo muito mais do que o direito do consumidor, estão em causa agregados familiares sustentados pela Ensitel e não são poucos, sendo até esta uma empresa que cumpre com as suas obrigações fiscais (isto pelo que me constou).

 

As massas movem-se assim, por vezes sem motivo e com ódio de purga em mente, gostava que se direccionasse esta energia para outros casos, outras coisas que estão mal nos poderes instituidos, mas não, isso normalmente não sucede. Já o linchamento público de uma empresa que errou, é tão fácil e tão rápido como colocar um "like" no FB.

 

Aí reside mais um apontamento importante, a rapidez da dispersão da informação.

 

Somos pequenos, somos os mesmos que sustentamos que houve uma revolução no 25 de Abril, quando na verdade não foi o povo que se revoltou mas sim o braço militar ou seja uma insurreição. É isto, o apropriar do que os outros fazem para glorificação eterna pessoal.

 

Deixo-vos em jeito de remate mais uma tira que acredito sublinhar mais uma caracteristica tão nossa: " Dívidas ao fisco davam para pagar défice deste ano " in Expresso

 

...Não cumprimos, mas somos os primeiros a agitar lenços brancos da bancada para o treinador.

 

publicado por tepidezcronica às 09:10 | link do post | comentar